"Quem luta, nem sempre ganha, mas quem não luta, perde sempre!"

 
Sábado, 23 de Outubro de 2010
O valor dos apelos e dos consensos

Não sendo fácil contabilizar com exactidão o valor da «unidade» que assola o País e todos os dias nos entra casa adentro pela via dos comentaristas, politólogos, especialistas em poupança, gente dos prós e dos prós, etc., há neste momento um número que justifica, em parte, todo este esforço e que ilustra o que se passa há mais de 34 anos em Portugal: 2.913.028.265 euros.

 

Dois mil, novecentos e treze milhões, vinte e oito mil e duzentos e sessenta e cinco euros, nem mais nem menos, é o escandaloso número dos lucros obtidos pelas 23 maiores empresas portuguesas no primeiro semestre de 2010, o ano de mais PEC`s, mais austeridade, mais sacrifícios. 

 

Assim se entende a razão de tantos apelos ao consenso, «necessário» para a manutenção da política de direita expressa no PEC III e nas medidas inscritas na proposta de Orçamento do Estado. Assim ficam mais claras as razões de tanta preocupação com as contas públicas, a despesa do Estado e as percentagens.

 

A questão não é se o défice se cifra em 7, 8 ou 15 por cento, mas se o percentual do aumento dos lucros das maiores empresas se mantém em 8,5 por cento, ou, até, se continua a crescer. Este sim é o valor que interessa! Como os ganhos a defender são significativos, o capital mobilizou as suas forças e veio ao terreno em defesa dos interesses superiores do seu País. Foi vê-los empenhados, num autêntico frenesim. Os banqueiros do BES, BCP, BPI e Totta, carregando às costas o pesado fardo dos seus 893 milhões e 930 mil euros de lucros no primeiro semestre, lá foram ajudar à reflexão do PSD e do Governo e avisar que o momento exige estabilidade.

Crise social, sim, mas nem pensar em crise política por causa dos Bankers e dos Banquiers (que em Portugal se traduz de forma criativa para «mercados financeiros»), os mesmos que vão buscar dinheiro ao BCE a taxas de 1 por cento e que emprestam a Portugal a juros de 5 e 6 por cento, conforme lhes apetece. Literalmente.

 

Pelo mesmo diapasão dissertou o presidente executivo da EDP, António Mexia, que surfando nos seus 639 milhões e 400 mil euros de lucros em 6 meses - e no já anunciado aumento da electricidade em 3,8 por cento -, também lá foi dizendo que face aos mercados «nervosos» e à crise que veio de fora, as medidas avançadas pelo Governo são mais que inevitáveis.

 

A mesma maldita crise que obriga as petrolíferas a aumentar os preços dos combustíveis, em particular a Galp, essa empresa que anda pelas ruas da amargura e que viu os seus lucros aumentarem apenas em 89 por cento.

 

Somado, tudo se resume ao objectivo da manutenção da política que permite que, por cada dia que passa, o capital arrecade 16 milhões de euros de lucros.

É em torno disto que conjugam esforços o capital, o PS, o PSD, o CDS e outros destacados responsáveis da situação em que nos encontramos.

 

Quando Cavaco Silva apela à necessidade de consenso, o que pretende é a manutenção e o agravamento das injustiças.

Quando Alegre afirma que é preciso aprovar o Orçamento, está, simultaneamente, a subscrever todas as medidas de ataque aos trabalhadores e ao povo propostas pelo governo do PS com o apoio do PSD.

Defesa dos interesses do capital - eis a razão suprema de tanto consenso na manutenção da profunda injustiça social, que faz com que, por exemplo, a cada 30 segundos os lucros totalizem mais do que um ano inteiro de Salário Mínimo Nacional, remuneração que o Governo e o patronato se preparam para não aumentar; tudo fazendo para que a 1 de Janeiro de 2011 o SMN não chegue a 500 euros. O mesmo Governo que convive tão bem com os milhões e milhões de lucro do capital, procurará impedir que o SMN aumente em pouco mais de 0,80 cêntimos por dia.

 

É contra este «consenso» de retrocesso social; contra este roubo a quem trabalha; contra este caminho de declínio económico que é necessário continuar a mobilizar todos os que são alvo de um rumo brutal e de injustiça. Para alargar a frente social de luta, apresentar propostas de ruptura, pôr Portugal a produzir, criar emprego, combater as injustiças. Para impor uma política patriótica e de esquerda ao serviço dos trabalhadores, do povo e do País. Para abrir um novo rumo de esperança. Para essa imensa obra que depende da vontade dos homens e mulheres do nosso País, podem contar com o PCP. Neste caminho faremos consenso. Para este caminho empenharemos todas as nossas forças. Assim será no contributo decisivo dos comunistas para a dinamização da luta de massas e para o êxito da greve geral convocada pela CGTP-IN para o dia 24 de Novembro. Assim será na dinamização, alargamento e apoio à candidatura presidencial de Francisco Lopes, a única que não está envolvida nem comprometida com esse imenso consenso de defesa dos interesses do capital.

 

Cada um escolhe os interesses que defende. O PCP há quase 90 anos que tem bem clara a sua opção.

 

Paulo Raimundo, in Jornal Avante, 21-10-2010



publicado por vermelho vivo às 23:49
link do post | comentar | favorito

1 comentário:
De tv a 24 de Novembro de 2010 às 23:20
Estou a ver na televisao informacao sobre a greve. O elevado grau de adesão á greve geral verificado mostra claramente que a solução imposta pelo Governo PS é repudiada pela maioria dos portugueses. Sócrates mentirá se disser que o bom povo português aceitou os sacrifícios que lhe foram pedidos.


Comentar post

mais sobre mim
pesquisar
 
Outubro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


posts recentes

Resistir!

Demissão!

A frase do dia

Festa da Fraternidade 201...

A Voz que Conta!

Fascismo. Cuidado eles an...

Ai Crato. Ai, Ai...

Álvaro Cunhal

O 10 de Junho

semelhanças...

arquivos

Outubro 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Outubro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Os meus hinos

 

 

 
Melhores adeptos do mundo