"Quem luta, nem sempre ganha, mas quem não luta, perde sempre!"

 
Sábado, 18 de Dezembro de 2010
A verdade dominante

Já algumas vezes neste blog escrevi que, sobre os grandes acontecimentos políticos, bélicos e sociais existem sempre duas verdades paralelas: a verdade oficial e a verdade oculta.

A verdade oficial é aquela que nos é impingida pelo poder dominante, difundida massivamente pelos orgãos de comunicação social do sistema e aquela que predomina na opinião pública, dando fundamento aquela velha máxima: “uma mentira incessantemente difundida, transforma-se numa verdade absoluta”.

A verdade oculta é aquela que fica nos documentos secretos, que é escondida pelo poder dominante, e ignorada e escamoteada, nuns casos consciente noutros inconscientemente, pelos órgãos de comunicação social. Ou seja, a verdade oculta é isso mesmo, a que fica arredada da opinião pública.

 

Na história que conhecemos, a verdade oficial predomina durante muitos anos e até décadas. A verdade que é ocultada apenas é conhecida muitos anos passados sobre os factos e quando se prevê que já não possa causar estragos de monta.

No entanto, a verdade oficial é difundida massivamente, em grandes parangonas e sempre acompanhada de inúmeras opiniões e análises produzidas pelos analistas e “opinadores” do poder dominante. A verdade ocultada quando é tornada pública, é difundida em rodapés e de forma passageira. Como facilmente se depreende, mesmo após a constatação da verdade (que afinal não era aquela que nos impingiram), esta passa despercebida à maioria dos cidadãos. Assim, na prática, a verdade histórica continuará a ser aquela que nos impingiram massivamente no momento certo e na dose adequada.

 

Esta teoria comprova-se através de inúmeros casos que vão desda a intervenção no Iraque e no Afganistão, à suposta ditadura Chavista na Venezuela, aos contornos que levaram à queda do bloco leste, aos factos que envolveram e estiveram na origem da contra-revolução em Portugal, ao derrube do governos democráticos do Chile, da Nacarágua, recentemente das Honduras, aos voos da CIA sobre portugal, e até a esta suposta inevitabilidade da crise e das suas consequências para o povo e os trabalhadores. Enfim... Estes são apenas alguns exemplos de como a verdade oficial massivamente difundida se impôe como verdade absoluta e e supostamente incontestável perante os cidadãos.

Mais tarde - em alguns destes exemplos tal já aconteceu - a verdade ocultada será desvendada e revelará então as verdadeiras razões de tanta mentira.

 

Vem isto a propósito do relatório de Dick Marty sobre o tráfico de órgãos humanos no Kosovo entre 1999-2000.

Dick Marty, no seu relatório implica os líderes do Kosovo ligados ao partido UCK, de se envolveram em tráfico de órgãos retirados de prisioneiros, a maioria sérvios, e acusa o actual primeiro-ministro Kosovar, Hashim Thaçi, de ser o líder desses bandos e ter comandado o crime organizado no Kosovo.

 

E vem a propósito porque, por um lado a origem e o desenvolvimento da guerra dos Balcãs é uma das maiores farsas da história europeia recente, por outro, trouxe-me à memória uns textos que escrevi aqui neste blog após a proclamação da independência do Kosovo onde afirmava: “...deu-se como consumado o êxito da operação, com o reconhecimento pelos EUA e alguns países europeus do Kosovo como país independente. Proclamado unilateralmente por um governo constituido por aqueles que há uns anos se constituiram em bandos de máfia e proliferaram através do tráfico de armas e da prática de terrorismo.”

 

Mas voltando ao relatório de Dick Marty, ele aponta a existência de vários centros de detenção, para extração de órgãos, todos localizados na Albânia: Cahan, Rripe, Burrel, Kukës e especialmente Fushës-Krujë.
 

Dick Marty justificou este relatório:
"Os testemunhos que sustentam nossas conclusões sugerem de forma credível e coerente uma metodologia para a matança de todos os presos, geralmente por uma bala na cabeça, um pouco antes de serem operados para a extração de um ou vários órgãos. Descobrimos que se tratava principalmente de um tráfico de rins retirados dos cadáveres".

E foi mais fundo e muito claro ao afirmar: “Estou chocado. Muitos organismos internacionais sabiam dos factos. Mas preferiram ficar em silêncio por razões de conveniência política”.
"...Os países ocidentais que se engajaram no Kosovo preferiram evitar o combate de campo, recorrendo a ataques aéreos, o UCK tornou-se num aliado indispensável para as operações terrestres. Desse modo, preferiram ignorar os crimes de guerra cometidos pelo aliado em troca da estabilidade imediata".

 

E pronto, só passados 10 anos algumas verdades começam a ser desvendadas, e reforço: apenas algumas verdades. Continuo a afirmar que a verdadeira história dos balcãs está ainda por contar. No entanto, os objectivos do imperialismo americano e os interesses expansionistas alemães estão praticamente consumados e a verdade quando for tornada pública (em notas de rodapé e de forma ligeira) não terá mais relevo ou consequências do que isso mesmo: apenas a devida importância para a reposição da verdade histórica.

 

E passados 10 anos, é esta a interrogação que o jornal alemão Tageszeitung coloca: "É possível que, por ordem de um primeiro-ministro de um Estado europeu, possam ter sido raptadas pessoas? Que as tenha mandado assassinar, para poder retirar órgãos dos seus cadáveres, como rins, por exemplo, destinados a clientes ricos da Alemanha, Canadá, Polónia ou Israel, pagos a 45 mil euros por transação? É possível que Hashim Thaçi, o primeiro-ministro do Kosovo, ao qual Berlim, Londres, Paris e Washington atribuíram um apoio tão unânime, deva o seu poder político à riqueza acumulada graças a atividades criminosas?"

 

E respondo eu: Pois... A resposta é muito simples: os interesses do imperialismo americano e da Alemanha, estão muito, mas mesmo muito, acima disso!

 

Sobre os Balcãs, escrevi alguns textos por aqui:

 

O estado fantoche

 

O expansionismo alemão e a Jugoslávia

 

A verdade oficial e a verdade oculta (I)

 

A verdade oficial e a verdade oculta (II)

 

A verdade oficial e a verdade oculta (III)

 

Razões para um tema



publicado por vermelho vivo às 23:58
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Outubro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


posts recentes

Resistir!

Demissão!

A frase do dia

Festa da Fraternidade 201...

A Voz que Conta!

Fascismo. Cuidado eles an...

Ai Crato. Ai, Ai...

Álvaro Cunhal

O 10 de Junho

semelhanças...

arquivos

Outubro 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Outubro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Os meus hinos

 

 

 
Melhores adeptos do mundo