"Quem luta, nem sempre ganha, mas quem não luta, perde sempre!"

 
Sexta-feira, 16 de Novembro de 2007
A luta intensifica-se!

"A par do aumento de adesões ao movimento de greves iniciado em França anteontem à noite no sector ferroviário - e que se anuncia para toda a semana -, milhares de manifestantes desfilaram ontem em Paris e em várias cidades francesas, em protesto contra o pacote de reformas anunciado pelo presidente Nicolas Sarkozy...

Os professores e os funcionários públicos projectam aderir ao movimento grevista na próxima semana. A contestação emerge também no sector judicial e em três dezenas de universidades."

"Os maquinistas alemães iniciaram ao fim da manhã de ontem a mais ampla e mais longa greve nos caminhos-de-ferro alemães, que durará 62 horas e se destina a exigir um contrato colectivo próprio e aumentos salariais de cerca de 30%..."

In JN


"No domingo, 11, a coordenadora nacional dos estudantes do superior, reunida na cidade de Rennes (Noroeste de Paris), apelou à transformação do movimento nas universidades numa «mobilização massiva», decidindo solidarizar-se com a luta dos ferroviários, bloqueando as estações de caminhos-de-ferro, bem como com a dos funcionários públicos, que estarão em greve na próxima terça-feira, dia 20.
No início da semana, cerca de 15 universidades estavam paralisadas total ou parcialmente e em outras 30 decorriam assembleias gerais..."

"Centenas de milhares de trabalhadores italianos de variadíssimos sectores aderiram à greve geral convocada no dia 9 pela Confederação Cobas (comités de base), em protesto contra o orçamento do governo de centro-esquerda e o acordo de reforma da segurança social, firmado em 23 de Julho com as três principais centrais sindicais do país.
Apesar da sua relativa pequena dimensão, a Cobas e outros sindicatos de base como o Cub e o SdL conseguiram mobilizar mais dois milhões de trabalhadores nesta jornada de luta..."

In Avante!

  

Também por cá e depois da grande jornada de luta do dia 18 de outubro que juntou 200.000 no Parque das Nações em Lisboa dizendo claramente NÃO! a estas políticas neoliberais, umas já implementadas e outras prontas a implementar,  A LUTA CONTINUA:

 

"A Função Pública vai estar em greve no dia 30 de Novembro. A paralisação foi convocada, ontem, pelas três estruturas sindicais representativas do sector público, mas a UGT já se mostrou disponível para aderir ao protesto, que tem por base a "intransigência" do Governo na negociação salarial para 2008. O clima de confronto entre o Executivo e os sindicatos está a subir de tom e levou a que a FESAP tenha já decidido não comparecer na próxima reunião com o Governo..."

In JN
 

Conclusão: O capitalismo, não tem solução para responder aos problemas e anseios da sociedade porque assenta num modelo de exploração do homem pelo homem, no previlégio de meia dúzia contra a pobreza de milhões.

Este capitalismo tem desencadeado um forte ataque aos trabalhadores e aos seus direitos e aos direitos dos cidadãos no acesso a áreas vitais para sua vida como o emprego, a saúde, a educação, a justiça, a segurança social, etc.

Contra este ataque, assistimos ao aumento das lutas e ao crescendo de adesão da classe trabalhadora e do povo nas batalhas que se travam. Batalhas estas, justas e inevitáveis para defesa das conquistas sociais adquiridas ao longo de muitos anos através de muitas e duras lutas.

A luta intensifica-se e os trabalhadores percebem que não podem ficar indiferentes quando todos os dias lhe roubam direitos laborais e sociais.

Percebem que a luta é o caminho!

Percebem que afinal o capitalismo não tem nada para lhe oferecer, ao contrário, ainda lhes rouba o que com muita luta conquistaram!

Assim, por mim, por ti, por todos nós, pelas gerações vindouras, a luta contra o modelo capitalista e por uma sociedade mais justa e mais social está aí. E ninguém está dispensado!



publicado por vermelho vivo às 00:31
link do post | comentar | favorito

1 comentário:
De POESIA-NO-POPULAR a 16 de Novembro de 2007 às 21:48
Compete aos trabalhadores Europeus,se querem lutar por melhor nivel de vida, ou, descer ao nivel dos trabaladores da América latina, e uma vez nesse patamar, os patrões logo os empurrariam para o patamar dos trabalhadores africanos.
Pode parecer um exagero mas...Não queiram experimentar!
Eles são capazes de tudo, para não perderem os previlégios!
A luta não pode parar, cada minuto parados, é um passo atraz.
josé manangão


Comentar post

mais sobre mim
pesquisar
 
Outubro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


posts recentes

Resistir!

Demissão!

A frase do dia

Festa da Fraternidade 201...

A Voz que Conta!

Fascismo. Cuidado eles an...

Ai Crato. Ai, Ai...

Álvaro Cunhal

O 10 de Junho

semelhanças...

arquivos

Outubro 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Outubro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Os meus hinos

 

 

 
Melhores adeptos do mundo