"Quem luta, nem sempre ganha, mas quem não luta, perde sempre!"

 
Segunda-feira, 27 de Abril de 2009
Os bois e os nomes

Esta foi-me enviada por mail e por aqui ficará publicada porque, como diz o meu amigo: "Isto tem tudo a ver."

 
Para os políticos burgueses as palavras, os programas eleitorais, os discursos, as entrevistas, as promessas públicas são outros tantos meios, não de dizer o que querem e o que propõem, mas de o ocultar cuidadosamente.
As razões são evidentes: se alguma vez lhes fugisse a boca para a verdade os seus eleitores reduzir-se-iam ao pequeno punhado de criaturas cujos interesses defendem.


Uma das palavras mais proferidas pelos trabalhadores ao longo dos últimos quatro anos é certamente a palavra mentiroso. É a altura de chamarmos a atenção para ela.

Porque uma questão que se deve colocar neste ano eleitoral é se o povo vai voltar a ter de a gritar nos próximos tempos. Se isso voltar a suceder é mau sinal.

Quer dizer que uma parte dos eleitores se deixou novamente enganar.

 

Num dos seus textos sobre a situação em França, Marx observa: «a questão não é se tal ou tal personagem traiu o povo. A questão é porque é que o povo aceitou ser traído por esse personagem».

 

Recrudescem os esforços por parte do PS/Sócrates para voltar a vender como lebre «anti-neoliberal» o desastroso gato neoliberal que durante quatro anos pôs no prato do povo português.

Ou para o PSD se apresentar como «alternativa».

Ou para outros se presumirem de «forças dirigentes da esquerda».

Ou para outros ainda ressurgirem da sua hibernação quadrienal com a finalidade de sempre, a de confundir alguns eleitores com a foice e martelo que usurpam.


Por isso, nenhum trabalhador que endereçou a palavra MENTIROSO se deveria esquecer não apenas de a quem a dirigiu, mas a que política e forma de agir a dirigiu.


Seria mais fácil se cada eleitor fosse capaz de identificar por detrás de cada palavra e de cada sigla as definições correctas.

 

Se onde alguns dizem «governabilidade» identificasse prepotência e arbitrariedade.

 

Se onde dizem «consciência social» identificasse exploração e sopa dos pobres.

 

Se onde dizem «europa» identificasse multinacionais e subalternização nacional.

 

Se onde vem PS, PSD, CDS/PP identificasse apenas PPD (ou seja, PARTIDOS da POLÍTICA de  DIREITA)

 

Se onde vem «governo actual» identificasse Comissão eleitoral do PS.

 

 

E já agora acrescento eu:

Tu que já chamaste tantas vezes mentirosos a estes governantes,

LEVA  O  TEU  DESCONTENTAMENTO  E  A  TUA  LUTA  ATÉ  AO  VOTO!



publicado por vermelho vivo às 13:05
link do post | comentar | favorito

1 comentário:
De CRN a 27 de Abril de 2009 às 17:49
A sua e a de quem o leu!

A revolução é hoje!


Comentar post

mais sobre mim
pesquisar
 
Outubro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


posts recentes

Resistir!

Demissão!

A frase do dia

Festa da Fraternidade 201...

A Voz que Conta!

Fascismo. Cuidado eles an...

Ai Crato. Ai, Ai...

Álvaro Cunhal

O 10 de Junho

semelhanças...

arquivos

Outubro 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Outubro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Os meus hinos

 

 

 
Melhores adeptos do mundo